Mito ou fato

Colher na garrafa preserva o gás da cerveja?

Descubra se o velho truque tem base científica ou é pura invenção.

De vez em quando acontece: você está bebendo aquela Itaipava com os amigos e sobra, digamos, metade na garrafa. Como você não quer desperdiçar, resolve guardá-la para o dia seguinte e daí enfia o cabo de uma colher no gargalo. Afinal, ouviu falar que isso evita que o gás saia da garrafa. Mito ou fato?

Pois saiba que colher no gargalo para segurar o gás é… mito!

Não se sabe exatamente como essa lenda surgiu. Especula-se que ela nasceu através de conhecimento popular, muito antes dos seus avós te passarem a dica. O mais provável é que tenha nascido na França, onde há relatos, centenas de anos atrás, sobre a técnica de enfiar uma colher de prata na garrafa de champanhe para preservar as bolhas. A teoria dizia que uma colher de prata esfriaria o ar perto da boca da garrafa, evitando que as bolhas escapassem.

Mas a verdade é que o gás se comporta de forma diferente dos líquidos, então uma grande quantidade dele pode fugir por qualquer espacinho livre da garrafa. E vamos combinar que uma colher não é a melhor forma de vedação.

Para que o gás carbônico não escape das garrafas, elas são pressurizadas. Assim o próprio ar “empurra” esse gás dentro do líquido. Quando abrimos, essa pressurização some (é o barulhinho de “tsss” que ouvimos), e o gás carbônico escapa do líquido aos poucos.

Bem, o ideal mesmo é beber a cerveja toda depois que a garrafa for aberta, mas se você não está com pressa, a melhor opção é mantê-la gelada. Isso não impede que o gás escape, mas baixa a temperatura e retarda a sua saída. Daí você une o útil ao agradável.

Afinal, com uma Itaipava gelada, o verão dura o ano inteiro.