Fotografia

Como fotografar debaixo da água

Alguns truques você pode tirar fotos incríveis de peixinhos e corais.

Seja só a gente fazendo pose na piscina ou imagens daquele mergulho junto com os peixinhos, fotos debaixo d’água são sempre muito bacanas. Mas como tirar essas fotos sem “afogar” a sua câmera? Bem, basta um pouco de investimento.

A primeira dica é óbvia, mas vale sempre lembrar: nada de ir nadar com a sua câmera ou celular desprotegidos. A combinação água e equipamento eletrônico costuma ser trágica. Hoje você encontra, tanto para as câmeras fotográficas quanto para os celulares, capas protetoras que isolam completamente o seu aparelho e não prejudicam a qualidade da imagem.

Mas se mesmo assim você não quer colocar o seu celular ou câmera em risco, vale a pena comprar ou alugar uma câmera de ação, aquelas pequenas usadas para filmar esportes radicais. Elas possuem modelos à prova d’água, caso você não confie muito em acessórios externos.

Ok, já temos o equipamento, e o que fazer na hora do clique? O elemento mais importante de uma foto subaquática é saber que a luz se comporte de modo diferente dentro d’água. Para começar, quanto mais fundo estiver, menos luz vai passar por ela. Vale a pena sempre tirar fotos com o flash ligado para a sua foto não sair muito escura.

Também precisamos saber em que tipo de água estamos. Uma foto numa piscina, por exemplo, corre muito mais risco de ficar embaçada do que uma foto no mar – isso por causa dos produtos químicos naquela. Também há diferença entre a água doce e salgada.

Outro conselho: nada de ficar muito longe do objeto que será fotografado. A água distorce a luz e a sua foto pode ficar muito opaca se feita à distância. O ideal é ficar perto e até um pouco acima do que se vai fotografar. Assim você vai conseguir aproveitar melhor a luz limitada que vem de cima.

Existem equipamentos e técnicas que melhoram ainda mais a experiência. Lentes especiais podem criar efeitos únicos, como aquelas fotos metade na água e metade fora dela, por exemplo. O mais importante é saber o valor da experiência: dificilmente você vai acertar de primeira a sua foto no mar, então é necessário ter calma e com o tempo investir em técnicas e equipamento mais arrojados.