Cinco Coisas

Cinco coisas que você não sabia sobre o beijo

Descubra algumas curiosidades sobre esse ato que é tão gostoso quanto uma boa cerveja

1. O DIA DO BEIJO

Sim, o beijo é tão gostoso quanto tomar cerveja. Ele é tão importante que tem até uma ciência para estuda-lo – a Filematologia – e dois dias para comemorá-lo: 13 de abril e 6 de julho. Sobre a segunda data não há um motivo claro para a escolha, mas o 13 de abril tem uma história: Surgiu de uma lenda italiana sobre um jovem chamado Enrique Porchelo, conhecido por ter beijado todas as mulheres da vila onde morava. Cansado de tantos rumores, em 13 de abril de 1882 o padre da pequena vila ofereceu um prêmio em moedas de ouro para a mulher que nunca tivesse sido beijada pelo jovem. Ninguém apareceu para reclamar o prêmio. Segundo a lenda, o tesouro permanece escondido até hoje em algum lugar da Itália.

2. BEIJAR DÁ BARATO

Sim, beijar dá uma sensação incrível. O corpo produz uma série de químicos enquanto você está beijando, e são eles que passam a impressão de que chão está tremendo, os sinos tocando, os pássaros cantando... Enfim, a sensação de que aquilo que você está fazendo é muito bom.

Quando a gente beija, o nosso cérebro recebe uma carga de dopamina, um neurotransmissor responsável por nos dar uma sensação de prazer. Com ele vem também a adrenalina, o hormônio que faz o nosso coração bater mais rápido e nos deixa mais ativos.

Você não vai só ficar mais alegre e ativo, também ficará mais zen. E há ainda a redução do cortisol, hormônio responsável pelos nossos picos de stress.

3. A MAIORIA DAS PESSOAS VIRA A CABEÇA PARA A DIREITA AO BEIJAR

Você pode nunca ter se preocupado muito com esse detalhe, mas pesquisadores das universidades de Bath Spa, no Reino Unido, e Dhaka, em Bangladesh, juntaram-se para responder essa pergunta, e o resultado foi que mais de 70% dos casais acabam inclinando a cabeça para a direita.

O motivo exato por essa tendência não é conhecido, mas provavelmente tem a ver com a sua mão dominante. A pesquisa mostrou que pessoas destras tem tendência maior de instintivamente virar para o lado direito, enquanto ela é menor em canhotos.

Uma outra pesquisa feita em Israel revelou que questões culturais podem influenciar no nosso comportamento na hora do beijo. Em países com a leitura feita da direita para a esquerda, como os árabes, a tendência de inclinar a cabeça para a esquerda na hora do beijo é maior do que em locais com o nosso modelo de leitura.

4. BEIJO É COISA ANTIGA

O ato de tocar os lábios como afeto é uma longa tradição da humanidade. Há registros do ato de beijar nos Vedas, textos escritos entre 1000 A.C a 500 A.C que são uma das bases do hinduísmo. A poesia Suméria, uma das primeiras grandes civilizações do mundo, também faz menção ao beijo. De língua, inclusive.

Mas é bem provável que essa “pegação” tenha começado muito antes de se construir grandes cidades. Uma parte dos estudiosos defende que o beijo é um ato instintivo do nosso organismo, sendo que a conotação sexual pode ser uma tentativa nossa de sentir o cheiro e o gosto de alguém especial. Já outra linha de pensamento argumenta que é uma evolução da “alimentação por beijo”, o ato de mastigar a comida e colocá-lo na boca de quem não pode se alimentar sozinho – é o modo como algumas mães alimentam seus filhos em algumas tribos ao redor do mundo.

5. O BEIJO MAIS LONGO DA HISTÓRIA

O casal tailandês Ekkachai e Laksana Tiranarat detêm o recorde de beijo mais longo da história. Em 2013 o casal passou 58 horas, 35 minutos e 58 segundos dando aquele beijão. O recorde foi batido durante uma competição anual de beijo em Pattaya, na Tailândia, no dia dos namorados. Segundo as regras, os competidores não podem deixar de tocar o lábio do parceiro em nenhum momento. Um árbitro fica a todo momento avaliando se as bocas se separam, inclusive quando os casais vão ao banheiro.

Assuntos relacionados: